sábado, 27 de outubro de 2007

meninas de mim

“Vem comigo, querida, pare de chorar!”, disse a menina-mulher para a menina-menina, que estava sentada, chorando no canto de seu quarto vazio. “Ir pra onde?”, perguntou a menina-menina para a menina-mulher. “Ir pra vida!”, respondeu, entusiasmada, a menina-mulher. Então, a pequena e frágil menina-menina levantou-se, enxugou, com as mangas compridas da blusa, as lágrimas que molhavam seu rosto e estendeu a mão para a menina-mulher. Menina, esta, que era a própria vida. A menina-mulher era a menina-menina no futuro. Mais forte e mais corajosa. Elas habitavam um mundo distante, o mundo de mim. Uma ajudou a outra a crescer. Quando a menina-menina caía e não conseguia levantar, surgia a mão da menina-mulher, sempre pronta, sempre forte. E quando a menina-mulher sentia-se fraca demais para sobreviver no meu mundo, a menina-menina aparecia radiante, trazendo consigo a beleza e a graça da infância. Assim aconteceu o mais belo dos encontros: o encontro de mim.

2 comentários:

Adriéllen disse...

Sem dúvidas... muito mais confortante que o anterior...

Um encontro lindo, que não depende de "terceiros"... ou talvez dependa... não sei!

Estou um tanto "viajante" hoje... e este post deveria vir acompanhado da foto 6 de seu album... com a legenda "WE CAN DO IT"

[ Jarbas ] disse...

lindo!
dizem que devemos ser os melhores de nós mesmo.

adorei.