domingo, 28 de outubro de 2007

contramão

Estou correndo pelas ruas da cidade. De vez em quando, olho para trás. Quero ver quanta coisa já deixei passar. Placas, carros, pessoas, são muitos os obstáculos nessa corrida maluca contra os fatos. Corro, corro muito. Corro o mais rápido que as minhas pernas cansadas agüentam me levar. Corro contra tudo, contra o tempo, contra a vida. Estou estafada, cansada, mas não posso parar. Correr tornou-se mecânico, robótico. Passo por muitas coisas no caminho. Nem sei, ao menos, para onde eu vou. Apenas corro. Sempre para frente. Sempre contra tudo. No sentido oposto, vejo que você corre também. Você, corre da verdade. E eu, de encontro a ela.

Um comentário:

Adriellen disse...

Corro demais... sofro demais...

É, pior de tudo é correr justamente no sentido contrário de quem você gostaria que estivesse correndo contigo...