quinta-feira, 27 de setembro de 2007

profundezas

Eu não posso ou, talvez, nem queira. Eu queria, eu acho. Mas não sei se posso. E, se eu posso, acho que não quero. Eu gosto, mesmo não podendo. Me dizem que é errado, que é pra eu esquecer. Mas não vou. Aliás, vou. Vou guardar tudo. Sofrer tudo. Chorar tudo de uma vez. Inundar o mundo, alagar a alma. Me afogar, transbordar. Verter sonhos. Overdose de sentidos. Colapso nervoso, incontrolável. Engolir tudo, até me engasgar. Até não agüentar mais. Até desistir. Até sucumbir. Até perder a memória de mim e de ti. Até recuperar os limites do eu. Recuperar as fronteiras invadidas. Até morrer numa guerra perdida. Até dormir um sono profundo. Um sono de morte. Vou mergulhar de cabeça no mais fundo de mim.

Um comentário:

CresceNet disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.