domingo, 2 de setembro de 2007

aos vinte anos

Hoje as pessoas diriam que é o meu dia. Festa, amigos, família, casa cheia. Presentes, desejos, felicitações. Porém, tudo o que eu queria não vem. E o pior, eu sei que não virá, mas, ainda assim, espero. Aguardo ansiosamente a ligação que não faz o telefone tocar. Meu estômago contrai-se a cada toque da campainha. Mas eu sei que não é você, antes mesmo de abrir a porta. Olho o relógio, você está atrasada. Um atraso longo, demorado. Você não vem, eu sei que não. Mas esse é o único sonho que restou em mim. Queria que você estivesse ao meu lado agora. Queria que você estivesse aqui. Os presentes não fazem diferença, as pessoas, apesar de queridas, não são você. Assopro as velas, tenho um único pedido, não é? Um único pedido e a certeza de que nada muda aos vinte anos.

Um comentário:

Ci disse...

E menina... eu sei que não era eu mas eu liguei... rs
Grande beijo!