quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

reza íntima

Te vejo ali, inquietante. No alto da plataforma dividida você se faz e se inventa. Recria e reinventa. Sou mais uma dos muitos que te olham. Desejo contido, guardado. Guardado para mais tarde. Para o momento único de nós duas. Do alto, doce santa misteriosa, você me olha. Reza uma reza só nossa. Uma reza muda e gritante. Que berra através dos olhos, olhares quentes e únicos, desejosos de nós duas. Guardamos silêncio, mudez compartilhada. Sabemos o que vem mais tarde. E o saber nos conforta. Mais tarde, mais além, mais fundo. No íntimo âmago teu e meu, também. Penetrantes e provocantes. Línguas que não falam e que rezam. Reza herege da paixão escondida.

2 comentários:

Gabi disse...

Wooooowww!!
E eu não vi isso... =/.... hauhauhauha

Beijooos

sptdb disse...

No meu caso o "nosso" não existe mais. Agora sou eu, eu, eu.. rs

Confesso que to preferindo o "antes só..." .. pra vc ver como existem pessoas e pessoas!

Mas felizmente somos raras chuchu! :o)

Saudades de vc porraaaaaaaaaaaaa!!!!


Beijossss :P