domingo, 24 de fevereiro de 2008

abismo

Te vejo tão distante. Você aí, vivendo. Engraçado tudo isso. Escolho as palavras, uma a uma. Escolha cuidadosa, meticulosa. Arremesso pedrinhas para o lado oposto do abismo que nos separa. Você lá e eu aqui. Deste lado, nada nasce. É árido, seco, improdutivo. Sinto sede. Olho a vida que brilha do outro lado. Lá está a água que eu sonho em beber. A comida que alimentaria para sempre o corpo e a alma. Levanto-me. Cansei de tentar contato, de atirar pedrinhas. Seguro firme o cabo da enxada. Trabalho árduo sobre o solo vazio de mim mesma.

Um comentário:

sptdb disse...

"... meu amor é um passo de fé no abismo em seu olhar ..."

"... me vejo andar no ar, lá no abismo lindo no seu olhar ..."

O post me fez lembrar essa música. Linda por sinal!!!