domingo, 26 de agosto de 2007

sentidos

É tarde, a madrugada já vai alta por hoje. A música toca, o corpo movimenta-se. Olhares, falsos olhares, no meio de pessoas desconhecidas. Olho ao redor, procuro por você. Mas, de novo, você não está. Então olho outra, ela me olha também, nos aproximamos. Conversas, flerte, mãos. A música embala os assuntos, a madrugada se encarrega de resto. Agora tento limpar o meu rosto. Tirar o toque que machuca a minha alma, que violenta os meus sentidos. A pele estranha o toque, as mãos doem por terem se fechado em outras que não as suas. O corpo arrepia-se, um arrepio ruim, um asco. Tento limpar os sentidos, esquecer o toque. Tomo água para não sentir o gosto da saliva, de outra saliva. Sinto febre, o corpo treme, a vontade se foi. Cadê você?

5 comentários:

Gabi disse...

Ooooiii, Guta!!
Adoro ler seus posts!!
Finalmente, os escritos de qualidade sendo divulgados!!!
EEEEEEEEE!!!!
Sucesso com o blog!
Te adoro!

Gabi

Guta Brandt disse...

Gabizinhaaa!!
beeiii já disse que não é pra tanto assim...
mas q bom q gosta!

adoro vc moça!!

Giovanna Cóppola disse...

Ai, a Gabi te conhece há mais tempo, mas eu sou sua maior fã! :D
E quando lançares um livro, quero ser a primeira da fila de autógrafos! E tenho dito!
Beijão!

Gabi disse...

Epa!!! Como assim??!
A Guta vai ter que autografar os livros simultâneamente, então... pra não dar briga...rsrrs

Guta Brandt disse...

hahahahahaha
eu falei isso pra Gi ontem...
vcs q se entendam aí hein?!
;P