segunda-feira, 1 de setembro de 2008

querer

Eu queria escrever pra você. É, eu queria ou precisava escrever pra você. Queria te contar, te dizer, nos bem dizer. Queria abrir meu mundo, mostrar meus segredos. É, eu queria. Queria ou precisava dividir com você. Dividir tudo, vasto mundo que me persegue. Queria saber dizer o que sinto, o que penso e, até, o que choro, pelo que choro. Queria saber ou queria poder. É, eu queria ter o poder de falar tudo, liberar tudo, soltar a língua, desprender as amarras. Eu queria entender sua língua, falar no mesmo tom, decifrar os mesmos códigos, teus códigos. É, eu queria decifrar você. Eu queria invadir, mergulhar na sua praia, escalar a mesma montanha. Queria invadi-la ou vivê-la, ainda não sei. Queria misturar sua cultura, entendê-la e tomá-la como minha. É, queria curar suas dores. Queria ser ou queria poder ser o remédio, ópio de sua alma. Eu só queria ser tudo o que você espera. E ainda quero.

2 comentários:

Giovanna Cóppola disse...

Esse texto é daqueles que batem uma certa inveja, tipo, "Puta que o pariu, como eu queria ter escrito isso!" hahaha! Conforme eu ia lendo, tinha a impressão que eram minhas palavras roubadas por alguém. Talvez você as tenha roubado mesmo, vai saber, virginianas são uma coisa estranha mesmo hahahaha! O aniversário é seu e sou eu quem ganha presente: esse texto é um primor! Beijo grande, criatura adorada e única!

Cibele Jordão disse...

Nossa, o que eu posso falar desse texto?! Eu queria escrever, eu queria ter escrito isso, queria tudo isso que você diz querer!
Flor, parabéns! Você sempre me surpreende.

Beijo Grande!